......................

.................

.............

Você está aqui: Pagina PrincipalColunas.PrincipaisClienteDesigners e Consumidore

Designers e Consumidore

PLATAFORMA DE DECORAÇÃO CONECTA DESIGNERS E CONSUMIDORES
A Hometeka já tem planos de internacionalização e quer vender casas pré-fabricadas e sustentáveis

iada em Belo Horizonte (MG) pelos arquitetos mineiros Leandro Araújo, 35 anos, e Roberto Andrés, 36, a Hometeka é uma plataforma que conecta designers de móveis e artigos de decoração a consumidores. Apesar de não revelar o faturamento da startup, os sócios afirmam que a Hometeka vem crescendo 35% a cada mês em relação ao período imediatamente anterior, já recebeu R$ 2,3 milhões em investimentos e se prepara para expandir.

 

A Hometeka nasceu em abril de 2013 como um projeto paralelo criado por Araújo e Andrés, na época sócios de um escritório de arquitetura. “Sempre fomos interessados em tecnologia. Pensamos que criar uma plataforma seria uma oportunidade interessante”, afirma Araújo. No mesmo ano, os dois fecharam o escritório.

O projeto, no entanto, era diferente do que é a Hometeka hoje. Chamado de bim.bon na época, a empresa vendia materiais de construção diferenciados. “Percebemos, entretanto, que poderíamos atingir mais gente se criássemos um marketplace voltado mais para a decoração”, afirma Araújo.

O reposicionamento durou de meados de 2014 a março de 2016. Nesta época, a empresa foi rebatizada de Hometeka. “O projeto, apesar das mudanças e de dar mais trabalho que dinheiro na época, crescia bem. Vimos que poderíamos crescer mais com o marketplace. Por isso, tomamos uma decisão de risco”, diz Araújo.

Atualmente, a Hometeka vende produtos para todos os cômodos da casa e também para escritórios. Os itens não são feitos pela startup, mas por outros designers, que expõem seus trabalhos na plataforma para atingir mais consumidores do que se trabalhassem sozinhos.

A Hometeka ganha dinheiro por meio de comissões e de mensalidades, pagas por empreendedores que desejam maior exposição no site. “No entanto, não é só o dinheiro que faz com que coloquemos um produto no site. Temos uma curadoria, que leva em conta as preferências do nosso público para decidir se incluímos ou não um item”, afirma. De acordo com Araújo, os produtos vendidos pela Hometeka são entregues em qualquer local do Brasil.

O fato de ser um marketplace é, segundo o empreendedor, o principal fator que diferencia a Hometeka de outras lojas virtuais de decoração do país, como Oppa e Mobly. “O produto não é nosso. É feito, em muitos casos, no Brasil, de forma artesanal e em quantidades limitadas.”

O tíquete médio da plataforma é de R$ 600. Em 2015, a startup recebeu um investimento de R$ 2,3 milhões dos fundos Performa e Polaris. 

Para o ano que vem, a meta da Hometeka é manter o crescimento. Também está na pauta o lançamento comercial da Hometeka Living, um projeto paralelo que venderá casas pré-fabricadas e sustentáveis. “Além disso, há planos para internacionalizar a empresa entre o fim de 2017 e o começo de 2018”, afirma Araújo.

DESIGN_BY